Você não tem nenhum item em seu carrinho de compras.
Pesquisa
Voltar para todos os posts do blog

Setor solar quer apoiar governos locais na transição energética e desenvolvimento da tecnologia fotovoltaica.

 

 

 

Para consolidar a parceria lançada no começo deste mês entre o ICLEI América do Sul e a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), acaba de ser anunciada a Chamada para Patrocínio do Programa de Transição Energética nas Cidades: Edificações Públicas Solares. O principal objetivo do programa é viabilizar a transição energética nas cidades a partir do uso da tecnologia fotovoltaica.

 

Por meio de apoio técnico, governos locais serão orientados para a elaboração de projetos financeiramente viáveis, visando a captação de recursos para a implantação de sistemas solares.

 

A Chamada para Patrocínio integra a primeira fase do programa e está aberta às empresas interessadas até 12 de junho. O chamado disponibiliza dois valores de cotas: R$ 60 mil ou R$ 20 mil. Em contrapartida, os patrocinadores terão suas marcas divulgadas junto às ações de promoção do Programa de Transição Energética nas Cidades: Edificações Públicas Solares, podendo integrar outras iniciativas de sustentabilidade das organizações parceiras, além de contribuírem com a geração de energia renovável e atingimento de metas ESG.

Confira todos os detalhes no edital: clique aqui

 

Após o término do prazo da Chamada para Patrocinadores, será aberto o Edital para a escolha das cidades contempladas no Programa de Transição Energética nas Cidades: Edificações Públicas Solares. Os governos locais selecionados terão a chance de trocar experiências e se apropriar da metodologia de elaboração de projetos tecnicamente robustos e financiáveis, habilitando-se para aplicá-las à realidade local e obter financiamento para seus projetos de energia solar fotovoltaica.

 

Nesta fase, as equipes técnicas do ICLEI, da ABSOLAR e de parceiros vão aportar conteúdo para facilitar as interações e apoiar bilateralmente até 10 municípios selecionados. O programa terá duração de seis meses e deve ser implementado a partir do mês de julho.

Comentários
Deixe seu comentário Fechar formulário de comentário