Você não tem nenhum item em seu carrinho de compras.
Pesquisa
Voltar para todos os posts do blog

EM ATÉ 4 ANOS O GOVERNO QUER CRESCIMENTO DE 5% NO USO DE ENERGIA FOTOVOLTAICA

 

 

Durante a inauguração da Cidade Solar, em Jaraguari, o governador Reinaldo Azambuja fez um balanço do uso da energia sustentável no Estado colocando a meta de fazer, em até quatro anos, com 5% da energia usada em MS seja fotovoltaica. O empreendimento também faz parte dos projetos aprovados via FCO (Fundo Constitucional da Financiamento do Centro-Oeste).

Além de facilitar o caminho dentro do fundo, a administração estadual espera usar outros métodos para incentivar o crescimento da energia solar em MS. Entre eles, estão: isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para importação de produtos usados para captação e geração, e a isenção de compensação ambiental para a geração de energia fotovoltaica. “É uma visão estratégica. A gente entende que priorizar a energia limpa, renovável, é contribuir para questão ambiental, para a sustentabilidade de Mato Grosso do Sul, do Brasil e do mundo”, disse o governador Reinaldo Azambuja. Já o secretário de desenvolvimento econômico, Jaime Verruck, contou que existe a intenção de usar essa energia sustentável no Pantanal para abastecer propriedades rurais e ribeirinhos. “Temos um projeto que já iniciou: vamos colocar no Pantanal mais de 1,7 mil painéis fotovoltaicos. Toda a energia usada no Pantanal vai ser fotovoltaica. Nós vamos colocar esse bioma com a energia limpa”, afirmou.

 Cidade Solar

A Cidade Solar é uma fazenda de geração de energia com 14 hectares e 120 cliente como hotel, pousada, pizzaria, restaurante, supermercado, escritório de advocacia, canal de TV e empresa de engarrafamento de gás GLP. De acordo com o diretor-presidente da Solar Energy, Hewerton Elias Martins, a energia gerada é inserida no sistema e o cliente pode abater o valor na conta. “O dinheiro que o empresário economiza, ele investe no negócio e movimenta a economia da cidade e do Estado”, afirmou. Ainda segundo ele, a Cidade Solar gerou 60 empregos diretos. As placas, que foram importadas da China, têm durabilidade estimada de, pelo menos 25 anos. A Cidade Solar tem 18 mil placas e capacidade de geração de 9.36 milhões de kWh/ano o que equivale ao consumo de 5.200 casa populares no ano.

Comentários
Write a Comment Close Comment Form